terça-feira, maio 10, 2005

Púcaros de Montemor

Montemor-o-Novo conheceu ao longo da sua história uma importante comunidade oleira que atinge o seu auge no século XVI. Este foi, aliás, o século de ouro da então vila de Montemor-o-Novo. O apogeu da olaria montemorense foi, em parte, consequência do grande sucesso que, na capital do reino, atingiram os púcaros fabricados em Montemor.
Carolina Michaëlis de Vasconcellos, no seu livro “Algumas Palavras a respeito de Púcaros de Portugal” refere a fama destas peças cerâmicas desde, pelo menos, a primeira metade do século XVI.

Em 1526, D. Isabel, filha do rei D. Manuel e futura mulher do imperador Carlos V, leva como dote de casamento, entre outras coisas “...17 piezas de bucaros de Montemayor; outra pieza grande que es un jarro grande de Montemayor, a manera de botija;...”. Segundo a autora anteriormente referida, este é o exemplo mais antigo da utilização da palavra “búcaro”, ou seja, púcaro.

Segundo Isaura Carvalho , do inventário da Infanta Beatriz (1507) constam igualmente “...vinte e dous púcaros de barro, trinta e seis púcaros e outros apedrados..., trinta e nove púcaros de Montemor...”.

Mas é Duarte Nunes de Leão na sua “ Descrição do Reino de Portugal” que melhor define os púcaros de Montemor: “alem destes (…) há outros de barro fino, & de excellente cheiro de que se fazem pucaros & outros vasos maiores para beber & ter agoa, de muitas feições & de gentil talho, de que dam o primeiro lugar aos de Lisboa, por o bom cheiro que de si dam a quem por elles bebe. Outros sam após estes os de Montemoor o novo que em cheiro lhes nam dam lugar, porque sam pucaros que nunqua sam velhos como os de outras partes: & a razão he que sam feitos de barro mui cheiroso & amassados com muitas pedrinhas que parece que sam tantas as pedras como o barro: dos quaes quando querem usar, os roçam primeiro com huma pedra, & assim descobrem outras mais pedras, & fica novo barro: & assi cada vez os que querem fazer novos, que tenham o cheiro que tinham quando novos, os tornam a roçar & começam apparecer outras pedrinhas”.

P.S.- Prometo que amanhã ou quinta-feira posto uma fotografia de um púcaro de Montemor.

2 comentários:

Guida Alves disse...

Cáfico à espera... :)

Guida Alves disse...

Opsss... Cá fico...