sexta-feira, maio 13, 2005

Montemor-o-Novo, Vila Notável

Na sequência de um pedido, por parte dos representantes de Montemor ás cortes de Lisboa de 1562, D. Sebastião promove Montemor a “Vila Notável”. Nesta altura havia no reino cerca de 15 vilas notáveis, o que atesta a importância de Montemor, ainda na segunda metade do século XVI, no contexto nacional.

E são estas as razões porque era Notável a vila de Montemor:

- Lugar antigo e muito povoado (No numeramento de 1527, só no interior da cerca habitavam cerca de 3600 pessoas);
- Lealdade dos seus habitantes;
- Possuir muitas igrejas, mosteiros, templos e casas nobres (nesta altura existiam na vila 5 mosteiros e outro no concelho);

Transcrevo de seguida, integralmente, a carta enviada pelo Rei D. Sebastião à Câmara de Montemor e assinada pelo Cardeal D. Henrique, por nessa altura D. Sebastião ainda se encontrar na menoridade.

Esta carta encontra-se actualmente no Arquivo Histórico Municipal de Montemor-o-Novo, tendo sido transcrita pelo seu director, o Dr. Jorge Fonseca.



Trascrição:

“Dom Sebastiam per graça de Deos Rey de Portugal e dos Algarves d’Aquem e d’Alem Mar em África, Senhor de Guiné e da conquista, navegaçam e comerçio de Ethiopia, Arabia, Perssia e da India. Aos que esta minha carta virem faço saber que os offiçiaes da Camara e pessoas da governança e povo da villa de Monte Mor o Novo me enviaram pedir por merçe per huum dos capitollos particulares que pellos seus procuradores me foram apresentados nas cortes que fiz nesta cidade de Lixboa o anno passado de mil quinhentos sassenta e dous que quisesse fazer à dita villa notavel e avendo respeito à dita villa ser lugar antigo e de grande povoaçam e aos muitos serviços que os moradores delle tem feitos a estes reinnos e aos reis meus antecessores e aos que espero que ao diante façam a mim e a meus sub cessores e asy avendo respeito à dita villa ser povoada de muitos fidalgos cavalleiros e pessoas de nobre geraçam e da criaçam dos reis destes regnos e acompanhada doutro muito povo e çercada e nobreçida de egrejas templos e moesteiros e de muitos outros edeffiçios e casas nobres e por concorresem estas e outras callidades per que bem mereçe e cabe nella a honra e preminençia que pedem e por folgar de lhes fazer merçe, ey por bem de a fazer e faço notavel e quero e me praz que daqui em diante se chame e posa chamar notavel e que os moradores della gozem e usem e possam usar e gozar de todas as graças honrras preminençias e liberdades de que per dereito e pollas ordenações usanças custumes e foraes destes reinnos podem e devem gozar os moradores das villas notaveis delles as quaes mando que lhe sejam inteiramente guardadas e por çerteza dello lhe mandei dar esta carta asinada per mim e asellada do meu sello pendente. E mando a todas as justiças e pessoas de qualquer calidade que seiam que em tudo a cumpram e guardem e façam inteiramente comprir e guardar como se nella conthem. Dada na çidade de Lixboa a xx dias de Março anno do Nasçimento de Nosso Senhor Jhesus Christo de mil quinhentos sassenta e tres. Antonio d’Aguiar a fez, Pero Fernandez a fez screver.

[ Ass.] O Cardeal Iffante

Carta per que vossa Alteza ha por bem de fazer notavel à villa de Monte Mor o Novo”


Fonte: Catálogo da Exposição "Um objecto, uma história, mês a mês", ed. da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo.

3 comentários:

Lisdengard disse...

fiquei curioso. não sabia q havia vilas notáveis. sabes quais eram as outras?

Manuela Pereira disse...

Nos finais do século XV eram Beja, Elvas, Guimarães, Leiria, Santarem e tavira. Entre 1517 e 1580, para alem de montemor, foram consideradas notaveis as vilas de Castelo Branco, covilhã, Estremoz, Lagos, Loulé, Moura, Olivença, Setubal, Tomar e Viana da Foz do Lima (actual Viana do Castelo)

Baphomet disse...

somos os maiores!